BIM BR: entenda o que ele é e como vai impactar seu negócio até 2028

BIM BR: entenda o que ele é e como vai impactar seu negócio até 2028

Atualizado em 7 outubro, 2020
por Marcel Ribeiro

Com o crescimento do mercado da Construção Civil brasileiro no exterior, novos padrões de qualidade passam a ser exigidos. Nesse sentido é necessário entender como a estratégia de disseminação do BIM será importante para o crescimento do Brasil.

Após períodos de queda, tem crescido a atuação das construtoras brasileiras no mercado externo. Em 2017, por exemplo, a movimentação chegou a 24 bilhões de dólares e promete crescer.

O BIM BR prevê a padronização de processos e a integração de informações. Na prática, é algo que vai impactar positivamente o crescimento do setor. Até 2028, a expectativa é de que todas as empresas do ramo passem a adotar o modelo, que é obrigatório.

Para não ter dúvidas nesse sentido, veja tudo sobre o BIM BR e saiba quais serão os impactos gerados. Boa leitura!

O que é o BIM BR?

Sigla para Building Information Modelling ou “Modelagem de Informações da Construção”, de onde origina o BIM BR busca padronizar e centralizar as informações dos projetos de construção civil, além de incentivar a implementação do BIM no Brasil. Isso porque seu objetivo é justamente promover um ambiente adequado ao investimento em BIM e sua difusão no Brasil. A ideia é contar com uma plataforma completa que integre todos os setores da obra.

A implementação foi definida, via decreto, pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Trata-se de uma iniciativa governamental para reforçar a atuação do setor e atender a novas necessidades.

Para que isso seja possível, é preciso, principalmente, adotar a tecnologia corretamente. Com o apoio das soluções adequadas, espera-se ser possível otimizar o desempenho e integrar a comunicação.

Quais são as políticas desenvolvidas?

As políticas voltadas para o BIM BR focam, principalmente, na integração entre setores. A ideia é unir e padronizar áreas, como:

  • estudo de viabilidade;
  • projeto executivo;
  • orçamento;
  • documentação;
  • planejamento;
  • logística e fornecimento;
  • estrutura e fundação;
  • instalações hidráulicas e elétricas;
  • acabamento e finalização;
  • retrofit; e assim por diante.

Para que isso seja viável, o MDIC criou uma comissão com representantes de diversos órgãos públicos. O objetivo é realizar a difusão dessa nova forma de agir para que todo o setor se adapte dentro do prazo.

Como o BIM BR vai influenciar o crescimento da construção civil?

As mudanças previstas pelo BIM BR visam a otimizar o funcionamento do setor, reduzindo custos, burocracias e erros, além de trazer tecnologia e inovação. Principalmente, essa é uma maneira de aumentar a produtividade e a transparência, o que fomenta o crescimento.

Assim, o BIM BR passará a fazer parte de obras públicas. Empresas que desejem atender a licitações, por exemplo, deverão fazer também a adaptação. Isso abrirá as portas para novas alternativas e garantirá uma atuação mais consistente.

Como fazer a implementação?

Fonte: BIMBR

Os negócios que ainda não deram início ao uso do BIM BR precisarão se adaptar até 2021. Para 2024, serão exigidas entregas e a implementação do modelo as built. E, por fim, em 2028, serão exigidas todas as dimensões desta metodologia, ou seja, as informações para gerenciamento de todo o ciclo de vida da construção, incluindo o pós obra.

Como dito, haverão prazos e demandas escalonadas nessa implementação até 2028. Neste ano, a expectativa é de que todo o ciclo de vida da obra já esteja contemplado.

Então, é indispensável contar com ferramentas completas e que atendam a essas necessidades. Vale a pena contar com uma plataforma SaaS adaptada a essa nova exigência e, principalmente, que facilite essa transição.

Resultados esperados:

  • Assegurar ganhos de produtividade ao setor de construção civil;
  • Proporcionar ganhos de qualidade nas obras públicas;
  • Aumentar a acurácia no planejamento de execução de obras proporcionando maior confiabilidade de cronogramas e orçamentação;
  • Contribuir com ganhos em sustentabilidade por meio da redução de resíduos sólidos da construção civil;
  • Reduzir prazos para conclusão de obras;
  • Contribuir com a melhoria da transparência nos processos licitatórios;
  • Reduzir necessidade de aditivos contratuais de alteração do projeto, de elevação de valor e de prorrogação de prazo de conclusão e de entrega da obra;
  • Elevar o nível de qualificação profissional na atividade produtiva;
  • Estimular a redução de custos existentes no ciclo de vida dos empreendimentos.

Conclusão

O BIM BR traz uma estratégia de mudança de atuação e transparência na construção civil no Brasil. Como é obrigatório a implementação do BIM, é essencial focar a implantação e o seu desenvolvimento até 2028.

Essa metodologia traz um conjunto de tecnologias e processos integrados que permite a criação, utilização e atualização de modelos digitais de uma construção. Isso de modo colaborativo, servindo a todos os participantes do empreendimento durante todo o ciclo de vida da construção.

Sabemos ainda que o governo é o maior consumidor da cadeia construtiva. Dessa forma, é importante ficar atento aos projetos governamentais que visam estimular o crescimento do setor de construção civil. Logo, a Frente Parlamentar propõe a utilização do BIM no portal digital de cadastro de obras públicas para janeiro de 2021.

Agora, que tal deixar os seus contatos por dentro do assunto? Compartilhe o post nas suas redes sociais e inicie o debate!

Marcel Ribeiro
Escrito por
Marcel Ribeiro
Engenheiro e cofundador do software Mais Controle.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja algumas postagens relacionadas

Saiba como o Mais Controle pode ajudar nas melhores decisões!