Escolha uma Página

Responsáveis por distribuir a carga da construção para o solo com segurança, as fundações são fundamentais para impedir deslizamentos de terra e dificuldades que podem aparecer em um edifício, como trincas e rachaduras. Você sabia que existem variados tipos de fundação, para diferentes modelos de construção?

Um bom projeto de fundação é aquele que diz qual o tipo certo, que, por sua vez, é determinado de acordo com as características do solo, o peso da edificação, entre outros fatores. Em seguida, explicaremos mais sobre essas tipificações de forma prática e clara. Continue acompanhando e tire suas dúvidas.

Fundações rasas

As fundações rasas (ou diretas, como também são conhecidas) costumam ser utilizadas em construções com até dois andares. Enviando o peso diretamente para o solo por meio das bases, esse tipo de fundação tem profundidade igual ou inferior a 3 metros e é feita manualmente — na maioria dos casos.

Apesar de todas elas serem construídas com concreto armado (combinação entre concreto e aço), os formatos das fundações vão mudando de acordo com o tipo. Os tipos de fundações rasas mais populares são:

Sapata isolada

É uma fundação indicada para terrenos com solo firme e de boa resistência. Sendo assim, a carga da edificação é transmitida para as colunas, que transferem o peso para as sapatas, distribuindo-o para o solo.

Na maioria das vezes, as sapatas isoladas têm a base retangular ou quadrada. No entanto,  o topo pode ser reto ou em formato de pirâmide.

Sapata corrida

Famosa na construção de casas com muros, vãos pequenos, paredes de reservatórios e piscinas, a sapata corrida é uma fundação superficial. Contudo, trata-se de uma estrutura contínua de concreto armado localizada abaixo das paredes, com dimensões de largura e altura maiores do que a viga baldrame.

O peso da construção é transferido para as colunas e depois distribuído linearmente para o solo.

Viga baldrame

É uma viga localizada abaixo do nível do solo. Ela percorre todo o comprimento das paredes da construção e liga as sapatas isoladas para distribuir os pesos do edifício. Além disso, ela ajuda no travamento das colunas.

Normalmente a estrutura da armação de aço mais utilizada é composta por 4 barras de aço.

Radier

Este tipo de fundação trabalha similarmente a uma laje de concreto armado onde as cargas são distribuídas a partir de uma estrutura superior. Por certo, este sistema é comumente utilizado em obras leves de alvenaria estrutural.

Uma vantagem deste sistema é a rapidez do processo de execução e a economia de materiais. No entanto, para que seja possível utilizar este método, é necessário realizar previamente uma análise de compactação do solo, e este deve estar de acordo com a norma técnica em vigor.

Fundações profundas

As fundações profundas recebem esse nome porque transmitem a carga ao terreno pela base e/ou superfície lateral. Nesse sentido, elas estão em grandes projetos, como por exemplo em edifícios altos. Os tipos de fundações profundas mais populares são:

Estacas

Com grandes comprimentos e seções transversais pequenas, as estacas descartam a necessidade de operários em sua movimentação. Ao passo que a execução é feita inteiramente por equipamentos ou ferramentas. Assim sendo, as estacas podem ser feitas de:

  • aço;
  • madeira;
  • concreto moldado in loco;
  • concreto pré-moldado.

Tubulões

Este método é indicado especialmente para obras com cargas consideravelmente elevadas, como, por exemplo: pontes, viadutos e prédios de grande porte. Ou, para solos com a presença de lençol freático, e que apresentam riscos de desabamento.

Trata-se de uma estrutura cilíndrica de fundação profunda, em concreto moldado in loco. Este processo exige a descida de um operário, pelo menos durante a etapa final. De aço ou concreto, com ou sem revestimento, os tubulões podem ser feitos a céu aberto ou sob ar comprimido (pneumático).

Caixões

Em forma de prisma, os caixões são concretados na superfície e instalados por meio escavação interna. Dependendo do material, eles podem usar ar comprimido e ter a base alargada.

Geralmente os caixões são maiores, impermeáveis e usados para escorar paredes de escavação e impedir que entre água enquanto a obra no solo estiver sendo feita. Após o término da obra, os caixões são utilizados como pilares ou fundações da própria construção.

Conclusão

Como você viu, existem diferentes modelos de alicerces para que as obras permaneçam no lugar, sem rupturas e sem sofrer instabilidade. Sendo assim, é imprescindível que a estrutura de qualquer construção tenha resistência adequada para suportar todas as tensões.

Por conta disso, é preciso conhecer bem todos os tipos de fundação, para escolher a opção que melhor se encaixe com o projeto. E por falar em projetos, que tal descobrir quais são as 5 maiores obras da engenharia no Brasil?