Escolha uma Página

O orçamento da obra é um dos documentos mais importantes a serem elaborados antes da execução de um projeto. Ele é o documento responsável por definir os custos da construtora, assim como o preço de venda para o cliente, por isso é importante saber o que é o BDI na construção civil.

Os custos estão divididos em diretos e indiretos. Os custos diretos são aqueles relacionados à atividade de construção em si. Eles são os custos de mão de obra, materiais e equipamentos. Já os indiretos se referem a serviços necessários para se viabilizar a execução da obra. Neles, estão os custos com instalação e manutenção do canteiro de obras, escritório administrativo da empresa, despesas financeiras, risco da obra, segurança do trabalho, transporte de cargas etc.

O orçamento da obra vai além dos custos

A soma dos custos diretos e indiretos nos dá os custos totais. No entanto, para elaborar o orçamento completo e chegar ao preço final de venda, é preciso acrescentar a eles os Benefícios e Despesas Indiretas (BDI).

Os benefícios se referem à margem de lucro que a construtora pretende ter sobre o valor final da obra, incluindo os custos totais e as despesas indiretas. Estas últimas se referem àquelas despesas que não estão relacionadas com a realização da obra. Vejamos com mais detalhes a seguir.

Elementos do BDI na construção civil

  • Administração central (AC): É um percentual dado pela parte do custo da empresa que é devida à manutenção da sua sede, incluindo aí os gastos com gestão de pessoas, marketing, contabilidade, departamento jurídico etc. Este valor deve ser rateado entre todas as obras executadas pela empresa.
  • Custos financeiros (CF): É um percentual referente à tomada de dinheiro no mercado financeiro, caso necessário para arcar com os custos da obra. Neste valor, estão inclusos a taxa de juros e o tempo entre a tomada de empréstimos e o primeiro pagamento feito pelo cliente.
  • Margem de incerteza (MI): Esta margem entra apenas no cálculo da contratante, já que para ela os custos da obra são apenas estimados. O valor deve variar entre 5% e 10% do total do custo da obra.

Estes três valores acima são chamados de elementos de composição direta, que incidem sobre o custo e aparecem no numerador da função BDI. Já os elementos de composição inversa incidem sobre o preço final do projeto e ficam no denominador da função. São eles:

  • Lucro (L): O percentual de lucro deve ser definido com base na complexidade do projeto, na sua análise de risco e do que é praticado pelo mercado.
  • Tributos (T): Percentuais que incluem tributos municipais, estaduais e federais, como ISS, COFINS, PIS, IRPJ etc.

Assim, o BDI em forma de percentual é definido por:

BDI (%) =  { [ (1 + (AC + CF + MI)) / (1 – (T + L)) ] – 1} x 100%

Segue abaixo um exemplo de aplicação da fórmula:

tabela 1

BDI (%) =     FORMULA 1

BDI (%) = 51,21%

Variações no cálculo do BDI

Os elementos utilizados para compor o BDI na equação acima foram baseados na cartilha do BDI do CREA-ES. Outros autores podem acrescentar outros elementos, como seguros e garantias (que incidem sobre os custos da empresa) e a taxa de despesas de comercialização (incidente sobre o preço final). Apesar das variações, o princípio é o mesmo e os elementos que incidem sobre os custos devem ficar no numerador e os que incidem no preço final devem ficar no denominador.

Preço de venda

Agora que as despesas indiretas e o lucro foram considerados, o cálculo do preço final do projeto, ou preço de venda (PV), pode ser calculado. Ele é dado pelo valor do custo direto (CD) acrescido pelo percentual resultante do BDI sobre este próprio custo. Sua fórmula é:

PV = CD x (1 + BDI/100%)

Exemplo:

tabela 2

PV = R$ 75.605,00

A elaboração do orçamento da obra exige bastante atenção devido aos seus detalhes. A exclusão dos benefícios e das despesas indiretas do cálculo do preço de venda pode levar uma empresa a vencer uma licitação por um preço muito menor ao valor que será necessário gastar na obra. Assim, os prejuízos devidos à negligência destes valores podem ser bastante significativos, desestruturando a organização financeira da construtora.